O que Vem Acontecendo em Minha Vida

Compartilhe esse artigo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Olá, amigos leitores. Fiquei um tempo grande sem escrever neste espaço. Quando mudei o formato do site, imaginei que talvez fosse produzir mais artigos, mas não foi o que ocorreu.

Lancei o podcast, e acho que, para padrões brasileiros, mesmo com poucos episódios consegui fazer boas entrevistas/conversas com pessoas bem interessantes.

Eu, por exemplo, há um mês conversei com um cardiologista famoso do Rio de Janeiro e conversamos por quase 2 horas e meia sobre lipídios, doenças cardíacas, etc. Quem talvez vai querer ouvir tanto tempo sobre esse assunto, não sei, mas acho que foi quase que um programa de utilidade pública, especialmente para homens a partir de 35 anos.

Entretanto, as visualizações de podcast foram poucas, e o esforço para editar, entrar em contato com convidados interessantes, não é pequeno. Então, dei uma desanimada um pouco desse projeto.

Mas, mas, minha vida nas últimas 4-5 semanas está sendo extremamente agitada. Nunca participei de tantas reuniões de negócios interessantes, talvez em toda minha vida, num período de espaço de tempo tão curto.

Eu acordo cedo entre cinco e cinco e meia da manhã, e lembro-me de ter feito uma reunião as 5 e 45 da manhã por telefone.

E o melhor é que estou gostando, pois ainda tenho um tempo enorme para a minha filha, para surfar, para pensar, para andar (venho começando a andar bastante recentemente, hoje, por exemplo comecei a andar as 5 e 45 e parei apenas as 8 e 45 da manhã, devo ter andando uns 15km, e me dei o luxo de voltar de Uber), para socializar com conhecidos, etc.

Hoje percebo que talvez eu sempre fui um empreendedor. Afinal, aos 15 anos, vestindo uma camisa do Iron Maiden, eu e um amigo convencemos três dos mais prestigiosos colégios particulares de Santos a nos aceitarem como professores de xadrez em seus colégios.

Eu acho que em valores presentes deveria ganhar uns R$3.000,00-4.000,00 para dar algo em torno de 4 horas de aula por semana. Eu organizei torneios e ganhei na inscrição, eu fiz parcerias com hotéis e ganhei nas indicações de pessoas que vinham jogar o torneio. Isso com 15/16 anos.

A Procuradoria Federal foi importante na minha vida, mas tolheu a minha criatividade.

Nas últimas semanas, tive que aprender um monte de coisas novas, e eu me empolgo quando preciso aprender coisas novas que vão ter impacto na minha vida. Posso ficar 5-6 horas concentrando lendo, estudando, pensando no assunto.

Faz-me um bem tremendo. Essa sensação de aprender algo novo que pode impactar a minha vida. Eu, como tornei público várias vezes, nos últimos meses, talvez anos, estava devotado em estudar sobre saúde.

Eu acho que hoje em dia, modéstia a parte, sobre vários assuntos posso falar de igual para igual, e em certas ocasiões até saber mais do que boa parte dos médicos sobre certos assuntos.

Mas, é uma área árdua. Ler papers científicos, ter que aprender termos e conceitos básicos, que qualquer estudante de medicina deve saber, para poder entender,  não é algo fácil.

Então, foi com grande prazer, essas últimas semanas me trazerem tópicos muito mais fáceis e novos, e com possibilidade de um impacto enorme em minha vida.

Tive que aprender muito mais sobre direito ambiental, o que me levou a pagar uma hora técnica com o melhor advogado ambiental da cidade. Custou-me R$ 800,00 e valeu cada centavo. Imagino que deve ter sido a mesma coisa, assim espero, quando um advogado pagou R$ 2.000,00 por duas horas de conversa comigo sobre leilões.

O melhor é que eu estava extremamente bem preparado e pude tirar todas as dúvidas específicas de alguns negócios potenciais que eu estava mirando. Hora técnica com um grande especialista + preparo prévio sobre o tema a ser tratado = insights valiosos, economia de tempo e diminuição de riscos.  É a fórmula ideal.

Tive que aprender também sobre parques de diversão. Quais os tipos, quanto podem faturar, etc. Aprendi só o básico, ainda bem que achei um site de consultores internacionais a respeito, mas já me ajudou bastante.

Por quê? Há uma chance grande de eu ser um investidor pequeno num pool de investidores, alguns fundos bem grandes, num parque temático que tem tudo para ser algo sensacional do ponto de vista turístico e financeiro. Retornos podem ser espetaculares. Um projeto enorme, e se eu entrar, vou até tentar pleitear uma vaga no conselho da empresa.

O meu projeto de casas de alto padrão, que devo ter falado em algum lugar, todas foram vendidas. Todas. Eram 3. O VGV (valor geral de vendas) ultrapassou em 5% minhas estimativas mais otimistas. Minha rentabilidade vai ser algo em torno de 60-70%.

Por causa disso, criei confiança no parceiro que executa. Eles ganham, eu ganho. Vamos iniciar outro projeto de seis casas no começo de 2021. E já tenho outro para 8 em processo de negociação avançado com o dono do terreno.

E, por fim, numa mudança que não imaginava, resolvi trocar de morada. Onde eu moro é talvez um dos melhores lugares do mundo para viver. Eu não falo do Brasil, pois a comparação daí é covardia.

O único, talvez não o único mas o mais forte, motivo de voltar ao Brasil foi saber para onde eu estaria voltando. Além do lugar ser fantástico, eu fiz muitos amigos na comunidade. E isso aumenta e muito a qualidade de vida. Soma-se a isso o fato do meu apartamento ser talvez o melhor da rua inteira, e da região, pela localização privilegiada dele.

Para mudar daqui, olha, só para algo espetacular. Minha mulher queria talvez uma casa. Mas ambos queremos uma ir andando para a praia, e para mim a praia tem que ter altas ondas, e ser uma praia linda e meio que “selvagem”, igual onde moramos.

Difícil.

Mas, por uma coincidência do destino,  um vizinho amigo meu comprou um terreno num lugar próximo onde moro. Condomínio fechado. Pagou um valor bem salgado. Ele pagou R$ 3.500,00 o m2 do terreno.

Estávamos na praia com várias famílias amiga, e ele me contou sobre a aquisição. Terreno de frente com vista incrível para o mar. Mostrou o projeto, quando vi o visual que ia ter dos quartos, sem brincadeira em cinco minutos resolvi que se tivesse um terreno parecido no mesmo condomínio eu iria comprar.

Moro nesse meu apartamento há mais de 10 anos, nunca pensei em sair, em cinco minutos eu mesmo me convenci que aquele era o lugar.

Tinha terreno, apenas mais dois, só que os preços pedidos estavam algo em torno de R$ 5.000,00 o m2.

Mas, do lado, eu vi que um empreendimento iria sair. Um condomínio de apartamentos de dois andares, térreo e o de cima (aqui o zoneamento só permite esse tipo de construção).

Talvez no último terreno disponível para um empreendimento desse com viabilidade ambiental num raio de uns 10-15km.

Depois de refletir muito, vi que esse empreendimento era espetacular e único. A pandemia fez com que muitas pessoas percebessem que podem fazer home office, e não precisam ficar mais em SP, RJ ou na Suécia. Elas podem viver talvez numa das regiões de cidade mais bonitas do mundo.

Demanda explodiu, oferta muito pequena por questões de zoneamento e ambientais. Preços dispararam ainda mais.

Não é o momento ideal para comprar. Mas o empreendimento é espetacular, e da data de ontem, depois de uma longa negociação, fechei o preço. Em 30 meses, se tudo correr bem, a construtora entrega, e irei mudar de morada.

Estou bem contente. Depois de dezenas e dezenas de imóveis comprados para lucro, sem qualquer apego, onde eles são apenas números numa planilha, vou comprar um imóvel para meu deleite. Não é barato, longe disso, é um valor bem alto, mas com o preço do meu apê atual, mais apenas o lucro potencial desses dois projetos novos de casa dando certo, eu pago o imóvel, e nem mexo no meu patrimônio.

Isso sem contar a minha empresa de tecnologia que pode explodir em 2022, sobrevivemos, nosso sistema está mais forte e resolvi ainda fazer mais um aporte para melhorarmos ainda mais a tecnologia. Tem tudo, se a pandemia for controlada, para o ano de 2021 ser muito bom para a empresa. E ainda tem esse projeto ousado do parque.

Está tudo dando certo financeiramente, e isso me deu a coragem de comprar esse apê.

É isso, meus amigos. Um pouco do que vem acontecendo comigo. Escrevo para compartilhar minhas alegrias das últimas semanas/meses, e espero que todos possam conseguir coisas boas nas respectivas vidas.

Um grande abraço!

Imovel
Imagem estilizada de como vai ser o visu do apê

29 respostas para “O que Vem Acontecendo em Minha Vida”

  1. “A Procuradoria Federal foi importante na minha vida, mas tolheu a minha criatividade.” Penso as vezes no mesmo em relação aos concursos, atualmente tenho vivido uma empreitada mista, concursado e estudando poucas horas do meu dia para um concurso melhor e o restante depois das 13 dedicado a trabalhar como autonomo, faço o trabalho braçal de algumas pequenas empresas de TI estrangeiras, o que o software não faz ainda e precisa de alguém fazer eu faço. Penso em começar algo pra mim soltar a criatividade, o serviço público é ótimo em relação a algumas coisas mas o preço que ele cobra é muito alto em relação a criatividade.

    1. Olá, Marco Antonio.
      Sim, o serviço público, na maioria dos casos, tende muito a mesmice.
      Seria ótimo se você conseguisse fazer coisas mais criativas, aliando ao seu serviço como funcionário público.
      obs: que tipo de trabalho de TI você faz?
      Abs!

      1. Faço serviços de “data entry”, são serviços mais braçais que ainda não foram automatizados por dificuldade/não ser possível ainda, como: transcrever diversas coisas como rótulos, listar produtos no site de um ecommerce, preenchimento de planilhas dos mais diversos tipos, apontar os sites/URLs onde algoritmos ‘scrapers’ vão em busca de certas informações, buscar informações gerais como por exemplo email/contato para CRMs, listar valor dos produtos queimados/estragados/alagados e onde comprar para uma seguradora. No geral faço a parte mais ‘braçal’ que nenhum programador que fazer ou possa fazer de forma automatizada/facil, a mão de obra no exterior, principalmente na Califórnia, é muito cara e compensa muito para essas empresas contratar um estrangeiro por demanda, quando é um trabalho em quantidade maior/prazo menor tenho alguns colegas que me ajudam e eu fico com uma pequena parte do valor que as empresas me pagam. Recebo anualmente cerca de 1/6 do que um programador receberia porém como recebo em dolar o valor em reais acaba sendo bem atrativo. Existem milhões de pessoas trabalhando assim na India e China e isso vem ganhando força no Brasil com a desvalorização do dolar nos últimos anos.

        1. Marco Antonio, que tipo de conhecimentos são necessários para exercer essa atividade? Também sou servidor público e tenho tempo e disposição para fazer outras atividades, me interessei bastante nisso.

          1. Ola Pierre! Conhecimentos básicos de informática e muita vontade de aprender e ir atrás das coisas, o ponto mais dificil é conseguir os primeiros clientes até porque os trabalhos geralmente são braçais e com o básico você consegue fazer. Claro que ter alguma noção mais avançada em computadores/programação vai te ajudar bastante mas pra esses trabalhos mais “braçais” não são condições necessárias.

          2. Pierre, bom dia!
            O que devemos fazer para entrar nesse mercado?
            Você dar aula sobre isso? Me refiro a vender curso sobre o tema.
            Tenho interesse em entrar nesse ramo.
            Abraços

        2. Opa, colega.
          Sem querer ser indiscreto, você cobra quanto por hora. Eu já tinha refletido junto com um dos fundadores, que é programador, se valeria a pena buscarmos para alguns serviços específicos não vitais da empresa de programação profissionais na Índia.

          1. Soul a maioria dos trabalhos não são pagos por hora e sim por produção, por tarefa, a minha receita desse ano fica em 70/30 em relação aos pagos por tarefas/ pagos por hora. Eu pessoalmente prefiro receber por produção, mas nem todo trabalho se encaixa melhor assim. Me manda um email para nós conversarmos melhor (marcoacs_@hotmail.com) acredito que podemos fazer um bom negócio para ambos.

          2. Opa, Marco, beleza?
            Cara, pode deixar, se nossa empresa precisar, vou falar com o programador-chefe sobre você, para saber se faz sentido para a empresa em alguma eventual tarefa.
            Um abs!

  2. Parabéns pela evolução Tiago. Seu podcast é top, no fundo não sei se vc realmente quer fazer isso crescer tendo vários outros projetos mais interessantes. Esse pessoal que é grande nisso hoje creio ter em comum o mesmo que os youtubers com 1M+ de inscritos que descrevem sua caminhada desde o início: meses gravando e editando vídeo o dia todo sem retorno financeiro e com baixíssima quantidade de views, porém continuaram persistindo, fazendo pq gosta sem certeza de nada até que no futuro o negócio virou. Ponto comum em quase toda história de sucesso na verdade.

    Quanto a fórmula mágica que vc mencionou eu acredito muito nisso, é impressionante a evolução rápida (o pulo do gato) ao conversar 1 ou 2 horas com algum especialista no assunto, mas tem de ser a pessoa correta. Já entrei em contato oferecendo pagamento assim como também já fui procurado (inclusive por empresa gringa que nunca ouvi falar) simplesmente para dar opinião sobre software por 1 hora. Mas me parece pouco utilizado isso no Brasil, como vc foi abordado e como abordou nas situações que descreveu? Via email/telefone friamente, através de rede de contatos ou via alguma start up que une os 2 lados?

    Não sabia que tinha petróleo nos terrenos de Floripa rs. Lugar privilegiado e escasso é assim mesmo né. Poderia dar sua opinião (talvez num próximo post) sobre o mercado de imóveis. Estou morando em Santos e aqui (ao menos pra mim) ficou claro que após o aumento absurdo (Dubai brasileira) até 2013/14 os preços congelaram e perdem p inflação até hoje. Mas agora pode começar o novo ciclo (juros baixos, inflação, materiais, gente migrando p praia etc) ou não (crise, salários baixos, negócios fechando etc). Tem argumentos para os 2 lados como sempre, não sei para onde irá pesar mais agora. Óbvio que com o seu conhecimento, visão e bom senso vc consegue de certa forma prever onde terá uma valorização acima da média, mas no geral o panorama não está claro.

    Sobre os investimentos em start up etc, tenho entrado também em alguns negócios e (mesmo sabendo que não se aprende isso em livros), vc recomenda alguma leitura, artigo, ou alguém para seguir/estudar sobre risco/incerteza etc? No meu caso no papel é uma coisa, na vida real tem sido outra, mas estava ciente em jamais ir all in e diversifiquei em mais empresas, ainda assim, a incerteza, uma hora parece que vai bombar, outra que não vai sobreviver, sei que faz parte deste mundo (investidores do vale do silício sempre deixaram isso bem claro, a natureza deles de investir em várias sabendo que 1 ou 2 podem vingar e compensar o prejuízo das demais), ainda assim gostaria de saber se vc, como grande estudioso, usa alguma outra fonte (acadêmica ou não) além do seu grande conhecimento tácito.

    Essa imagem estilizada do ap é muito top, parabéns e boa sorte nos negócios!

    1. Fala, Rodrigo!
      Sim, eu entendo. É preciso tempo e dedicação para construir uma audiência. Eu nem queria uma audiência maior para monetizar e ganhar dinheiro. Tudo o que eu eventualmente ganhasse seria reinvestido no projeto mesmo. Queria mais ter feedback e sentir que estou agregando algo para alguém. Mas com certeza tenho algo de ego e vaidade de querer ver um público maior.

      Sua área é tecnologia? No caso específico, eu sou do ramo de direito né. Então, o que mais conheço é gente da área. Então basta mandar uma mensagem para um amigo, que ele já sabe quem é o fera na área, e muitas vezes é amigo da pessoa.

      ehehe, olha, estou achando que é mais valioso do que petróleo!:) Cara, eu nasci em Santos. Aliás, estarei em Santos nas próximas semanas vendo os meus pais. Eu acho que Santos deu um boom de construções, mas não necessariamente de preço. Aí veio a crise, e um caminhão de oferta. Especialmente comercial, esses se deram mal.
      Sendo bem sincero contigo? Não faço a mínima ideia. Eu sei onde moro, faz todo o sentido o preço estar aumentando, pois a região está se desenvolvendo do jeito certo (certo tendo em vista que estamos no Brasil né): aeroporto internacional de primeiro mundo, shoppings estilosos, condomínios de alto valor, duplicações, restrições ambientais e de zoneamento deixando a região com a sua beleza natural, praias lindíssimas, aí não tem como imaginar os imóveis valendo mais daqui cinco anos.
      Agora, Santos, eu não sei. Não conheço mais a cidade, muito menos do ponto de vista de imóveis. Compraria em leilão, mas aí estou comprando X pelo valor de 0,3-0,4X, aí não tem erro, seja em Santos, Salvador, Campo Grande, etc.

      Sobre investimentos, eu tenho em apenas uma. Mas, apesar de não estar no dia a dia, sou tipo que um conselheiro. Sou um investidor-anjo-quase founder. Eu sei que no final de 2023 ela pode estar valendo mais de 100 milhões, ou 300 mil, é bem incerto mesmo. Mas há um mercado grande, nós temos diferenciais em relação à concorrência, e quem sabe a coisa não vira.
      Cara, tem muitos canais sobre investimento-anjo, etc.
      Mas, o que você tem que fazer é conhecer ideias, ir em encontros, ver vários pitchs, etc. O ideal é pegar uma empresa que já tenha um produto-serviço pronto, e que já possua faturamento (foi o que eu fiz a investir mais forte nessa empresa há 20 meses). Fazendo isso, você já elimina grandes filtos: 1) o desenvolvimento de uma ideia em um produto e 2) o mercado aceitando esse produto. Se uma empresa já tem faturamento, quer dizer que a ideia se materializou em algo concreto, e que há alguém no mercado valorizando esse produto. Esse geralmente é o ponto de entrada que oferece o maior retorno potencial com um risco menor (dentro da perspectiva de um investimento arrsicado como esse em start-ups).

      Um abraço!

  3. “ Nas últimas semanas, tive que aprender um monte de coisas novas, e eu me empolgo quando preciso aprender coisas novas que vão ter impacto na minha vida. Posso ficar 5-6 horas concentrando lendo, estudando, pensando no assunto.”

    Este sou eu, literalmente hoje, ao descobrir o seu blog. Fiquei intrigado ao ler seu artigo sobre ter pedido exoneração de um cargo tão prestigiado. E eu considerava que a advocacia pública seria até um pouco mais “dinâmica” que as outras carreiras, mas talvez você realmente precisava dar vazão a todo esse potencial. Sou um advogado em início de carreira e me questiono se vale a pena continuar estudando para concursos públicos no atual cenário, ou investir todo esse tempo em advogar e (tentar) acumular patrimônio.
    Sobre o podcast, ainda não escutei, mas já está assinado. É minha mídia favorita é a utilizo há anos, desde a época do colégio. Adoro utilizar o tempo “inútil” para aprender coisas novas. Que outros podcasts você acompanha? Vi que recomendou o “Ben Greenfield” e achei interessante, adicionei às minhas assinaturas também. Alguma outra recomendação?
    Peço perdão pela indiscrição, mas como conseguiu acumular patrimônio suficiente para abrir mão do cargo público? Você já investia em imóveis de leilão desde essa época? Ainda estou lendo os artigos do seu antigo blog e não sei toda a história. De qualquer forma, é impressionante. Meus parabéns!

    1. Oie meu amigo, tudo bem?
      Do final. Eu sou muito conservador. Vou dar um exemplo. Um amigo meu disse “veja a série do Netflix Gambito da Rainha”. Eu nem mais filme estou vendo (algo que amo). Chega 20:30, minha filha está começando a fechar os olhos, e eu já estou bem cansado. Durante o dia é um monte de atividade. Mas, comecei a ver essa série. Eu durante a minha adolescência fui jogador semi-profissional de xadrez. E essa série é sobre xadrez, e muito bem-feita, está me fazendo relembrar várias coisas da minha adolescência (os produtores mandaram bem a pegar o Kasparov para ser um conselheiro sobre os detalhes técnicos). Numa certa parte do filmes eles falam sobre a defesa Caro-Khan. E é dito em outras palavras que é uma defesa “conservadora” para quem busca um empate. Imagina qual defesa eu jogava? Isso eu tendo 12-13 anos.
      Eu também gosto de jogar Poker, ou gostava. Sempre fui bem conservador, nunca joguei solto. Mas, eu às vezes era agressivo, mesmo sendo mais conservador.
      Eu percebi então que ser mais conservador, precavido, talvez esteja nos meus genes, minha natureza, seja lá o nome que queiramos dar.
      O que eu precisava fazer era trazer esse estilo do poker, ser agressivo quando mãos boas aparecem, para outras coisas. O que isso quer dizer?
      No exemplo do apê que vou comprar. Eu fui super-conservador. Levantei um monte de informação, cruzei informação de tudo que é fonte, me deixaram reunir durante uma hora com o dono da construtora (que é um senhor de idade), fui no RI li toda a documentação juntada no registro de incorporação (algo que quase ninguém faz), etc, etc. O imóvel é algo que gostei muito mesmo, porém é um imóvel na planta. Tem risco. O que fazer, ficar paralisado pelo “risco”? Não, aqui talvez eu tenha sido “agressivo”, depois de uma longa imersão nos prós e contras, documentação, etc (ou seja sendo conservador e cético), de não deixar passar essa oportunidade.
      Logo, colega, você precisa se conhecer. Saber as suas forças, fraquezas, limites, etc.
      Eu larguei a Procuradoria Federal depois de ter um considerável patrimônio. Hoje em dia, eu não esperaria tanto, talvez tivesse largado uns 2-3 anos antes. Mas, eu me preparei durante anos para fazer essa transição.
      Se você deve estudar para concursos? Cara, ser Juiz, por exemplo. Um salário altíssimo, prestígio, estabilidade, 3 meses de férias, possibilidade de fazer o bem por meio de processos. Se você se identifica com ser juiz, por que não?
      Eu entrevistei um bom amigo no podcast que é juiz há quase 20 anos, e está a um passo de se tornar desembargador. Tudo que eu falei sobre juiz é bom. Mas se a pessoa quiser passar para juiz apenas pelo dinheiro, ou pelo pretenso prestígio, é uma receita quase certa para uma vida subb-ótima, e talvez até mesmo infeliz. Sim, é um cliché, mas eles existem porque tem um grande fundo de verdade.
      Portanto, o primeiro passo é se conhecer bem.

      Um grande abraço!

  4. Valeu Thiago! Fiz eng. elétrica, mas não trabalho com tecnologia. Com o preço do petróleo deve ter algo mais valioso mesmo nesses terrenos rs. Praia boa é assim mesmo, escassez de terrenos, ainda mais em santa catarina, nasci e fui criado alí, cresceu muito. Acredito que já devem ter até removido aquela plaquinha ‘bem vindos a floripa, mas não esqueça de ir embora’ rs.

    Então, Santos comercialmente se prepararam para uma suposta demanda alimentada pelo offshore, petrobrás etc, mas a própria petrobrás não fez o que esperava aqui. Teve imóvel comercial no centro vendido a 10k/m2 com corretor (no caso eles sempre falam p comprar logo pq o céu é o limite) quase garantindo em contrato que na copa do mundo estaria a 14k. Hoje não sei se vendem por 5k. Já residencial vi subir de 2009 até 2013 e depois nada de muito relevante.
    Minha impressão é que muitos leilões não compensam pelo preço, mas hoje com tanta gente se informando e participando talvez o lucro esteja exatamente aí, em saber avaliar melhor que o avaliador oficial a fim de encontrar anomalias, mas isso é só um achismo meu mesmo. Estava aguardando seu livro para dar uma analisada nos leilões, mas pelo jeito vai demorar hehe.

    Muito interessante os filtros que vc usa inicialmente. Realmente, ideia é uma coisa, produto com aceitação pelo mercado é outra. Agora, como vc faz o valuation? Pra mim esse é o grande problema, já que tudo depende de como a história é contada e interpretada, além de muita previsão nos números, principalmente em tecnologia. Até com as empresas de capital aberto o mercado tende a sobrestimar o quanto valem (talvez isso justifique até o fato do fator valor do fama-french oferecer uma expectativa de retorno maior nas ações). Muito difícil o valuation de start-up, pra mim, de qualquer empresa na verdade.

    1. Opa, Rodrigo, aí sim tem indícios de “bolha”. Se você é daqui sabe que Floripa ano a ano vem se transformando. Eu conheço Santos, ninguém que conhece Floripa e Santos vai dizer “eu quero muito morar em Santos, achei Floripa sem graça e feia”. Portanto, floripa tem um edge enorme. Soma-se a isso o fato que floripa está se tornando conhecida internacionalmente. Logo, tem gringo chegando aqui com dólar, nosso real desvalorizado, e comprando imóveis não para ganhar dinheiro, mas para deleite pessoal. Eu refleti bastante, mesmo que apenas por algumas semanas, para dar esse passo de um novo apê com um valor muito maior. Como é para deleite não faço questão de ganhar dinheiro, claro que se valorizar realmente melhor ainda, mas não quero perder (ou seja daqui 30 meses quero que ao menos o preço que vou pagar, se quisesse revender poderia revender pelo preço + INCC por exemplo).
      Imóveis comerciais em Santos eu ouvia falar, e sempre achei uma loucura. Pagar 10k o m2 na esperança de que algo pudesse vir a se concretizar no pré-sal, anos antes, pareceria-me uma aposta muito arriscada, com um potencial de retorno bem baixo.
      Eu nem olho mais tantos leilões, mas você tem razão, é preciso peneirar, e sim, de vez em quando surge algo muito bom. Mas, eu já comprei no Brasil inteiro todo tipo de imóveis. Se eu quiser comprar só em cidades badaladas do litoral de SC, se esse fosse um filtro por exemplo, aí é dificil, pois o número de leilões despenca, se compararmos com o número de leilões em toda região sul, por exemplo.

      Eu não sei muito sobre valuation. Nessa minha empresa foi negociação olhos nos olhos, foi sentir a necessidade de investimento dos founders, e aplicar algumas técnicas de negociação que aprendi vendendo tanto imóveis. Não sou um exímio negociador, mas aprendi algumas coisas.
      Mas, sim, avaliar uma start-up, ainda mais de tecnologia que pode escalar rápido e com força, é complexo, senão impossível. Antes da valuation, talvez é ver sentido na ideia, ver sentido na história que os fundadores estão te contanto, e sentir que eles passam confiança e garra.
      Agora ter temáticas muito objetivas para analisar uma empresa que não dá lucro, está na infância, com uma ideia diferente, que em cinco anos pode estar valendo R$ 200 milhões ou R$ 20 mil é difícil mesmo.

      Um grande abraço!

  5. Fala Thiago, blz? Senti falta das suas postagens, ainda bem que o sumiço era pra acontecimentos muitos bons e não ruins (geralmente é).

    Fico feliz pelas coisas dando certo e pelo seu entusiasmo, faz tempo que eu não sei realmente o que é isso, entrar de cara num projeto e sair cansado, mas feliz… EEEeeita vontade hahaha.

    Te desejo sucesso e que daqui 30 meses você esteja escrevendo uma artigo sobre sua nova moradia.

    Abçs

    1. Oie Colega!
      A vida é feita de acontecimentos bons e ruins. Por mais que queiramos apenas os bons, os ruins são essenciais para moldar nosso caráter, para nos dar mais determinação, para que possamos apreciar com mais intensidade os momentos bons.
      Mas, sim, minha vida tem sido boa nos últimos meses-anos.
      É bem isso, a minha independência financeira, hoje percebo, foi na verdade uma resposta mental minha a uma alternativa a um cargo que me pagava muito bem, mas não me deixava satisfeito, não me dava tesão.
      Por isso mergulhei em finanças, li coisas simples e complexas. Eu, por exemplo, li muito mesmo sobre SWR (safe withdrawn rate – taxa segura de retirada). O tempo que passei refletindo sobre se podia tirar 3.5%aa, ou se tinha que ser conservador e ficar em 2%aa. Fui a fundo mesmo. Hoje vejo que ficar pensando em SWR enquanto a sua vida com juventude e vitalidade vai se esvaindo é pensar de uma maneira muito restrita mesmo. Hoje sou muito mais sábio em relação a isso, penso eu.
      Mas pe isso, meu amigo, você deve ser jovem, deve ser inteligente, tem tudo para encontrar um projeto desafiador que te canse, que tenha risco, mas que possa te trazer retornos muito bons: de bem-estar, de dever cumprido, financeiro, etc

      Um abraço!

  6. Belo post Soul!

    Mt bom ver tudo andando bem, a filha crescendo e vc satisfeito.

    Eu ia te perguntar se nesses estudos de saúde vc já estudou nutrição infantil pensando no que dar pra ela comer depois que parasse de mamar. Tem muita coisa interessante pra estudar nessa área.

    Abração e bons negócios sempre!

    1. Valeu meu amigo!
      Nutrição infantil é comida de verdade. Ela come salmão, ovo, queijo, carne, lentilha, brócolis, tomate, cenoura, etc.
      De vez em quando permitimos que ela coma um pão artesanal de fermentação natural que um amigo nosso faz, é como uma guloseima, uma sobremesa.
      Um abraço!

  7. Sua vitalidade e gosto pela boa vida de fato inspiram. Acompanho o blog e o podcast de perto e acho incrível o conteúdo. Muitas das frentes trazidas por você trouxeram um impacto positivo na minha vida. Meu poder de divulgação é pequeno, mas estou sempre recomendando. Em casa quando eu te cito, desde a época do “Pensamentos Financeiros” a galera já me olha sorrindo. Espero que tenha vida longa, pensando de forma egoísta que não desista do projeto aqui nem do podcast, embora eu entenda que existam outras prioridades aí do seu lado e o tempo é limitado. Um abraço

  8. Grande Soul, muito bom ler aqui como vc tem levado a vida nessa ano tão louco. Sobre podcast, dá uma olhada se vc colocou ele na categoria certa. Tipo saúde/nutrição acho que encaixa bem. Como vc encontra tempo pra fazer tanta coisa fico admirado. Parabéns pelo novo terreno. Abs

    1. Olá, Vagabundo!
      Beleza, meu amigo?
      Cara, dá para fazer bastante coisa e achar um equilíbrio sim. Mas saí não sobra tempo para televisão, jogar games (que eu não faço desde os meus 12 anos), redes sociais, etc.
      Um abs!

  9. Soul, estou perto de dar participar de um leilão depois de anos buscando uma oportunidade.
    É judicial, diferente dos que você participa, e até onde eu saiba não recomenda a participação nos judiciais.
    Entretanto o mesmo me parece uma raridade, talvez concorde comigo, pois:
    1 – No edital esta: “ÔNUS RECURSO OU CAUSA PENDENTE: Todas as matriculas estão penhoradas em favor do Banco da Amazônia S/A.”, O Banco da Amazônia é o exequente, ou seja, em tese não terei ônus/processos, não constar no edital já dá segurança. Quase todos que já vi possuíam diversos processos pendentes.
    2 – São terrenos, totalmente desocupados.
    As preocupações que ficam são em relação ao IPTU (como o terreno esta “abandonado” é cobrado 2,7% do valor venal, alíquota alta e certamente são vários anos sem o pagamento do mesmo. Em minha pesquisa não consegui definir se serei ou não responsável por essas dividas.
    Moro em um cidade pequena não há nenhum profissional que tenha um bom conhecimento sobre leilões, irei usar o acesso de um advogado para ler todo o teor do processo e dessa forma me precaver um pouco mais.

    1. Opa, Gabriel, beleza?
      Cara, a semana que passou eu recebi algumas consultas sobre consultoria (não que tenha sido o seu caso). Eu não estava me interessando tanto, mas aí um leitor mandou e a gente chegou num valor que fazia sentido para mim, e numa forma que fazia sentido para ele, e assim talvez eu me interesse a fazer mais.
      Sim, eu não recomendo leilões judiciais, mas sobre o tema eu escrevi mais de 150 folhas, e amigo meu professor de processo civil, por exemplo, não sabia um monte de coisa quando mostrei algumas partes. Posso ajudar nisso tb, nem que seja para que a pessoa veja os muitos perigos potenciais, e entre numa concorrência dessa mais sabedor dos riscos.
      Se tiver interesse mande e-mail para mim e conversamos, se for do seu interesse.
      Sobre o seu caso, pelo que você falou alguns riscos são reduzidos, mas judicial não adianta, sem eu saber exatamente do que se trata, e sem olhar o processo judicial especifico, não dá para emitir um parecer com mais segurança
      Um abs!

  10. Grande Soul,

    Sempre um prazer ver você escrever e nos inspirar com tanta informação boa em um país muito complicado. Eu acabei comprando a Surfland, espero que um dia possamos bater um papo lá.

    um abraço,

    Julio

    1. Opa Julio!
      Uma vez me falaram que alguém tinha comprado a Surfland, e eu tinha sido um dos catalisadores, será que foi você?
      Será um imenso prazer dividir uma sessão de surfe nesse projeto que quando pronto será muito maneiro.
      Um abs!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *