O COVID-19 e reflexões pessoais

E aí amigos leitores. Já faz um tempo que não escrevo sobre COVID-19. Sim, bastante tempo na verdade. De certa maneira eu perdi um pouco o interesse nos últimos meses, depois de mergulhar de cabeça no estudo de vários aspectos dessa “crise” de saúde pública. Nesse texto, vou compartilhar algumas opiniões sobre diversos temas relacionados à pandemia.

Olha O Efeito Dunning-Kruger aí…

Talvez quem esteja lendo esse texto saiba que eu escrevi uma série de 10 artigos sobre o tema no meu antigo blog. Sempre tive o cuidado de escrever que eu era leigo, e as pessoas deviam ler o que eu escrevia sobre o tema apenas como uma tentativa de um amador fazer sentido do que estava ocorrendo.

Pois bem. Mesmo naqueles textos, apesar de me esforçar, eu cometi alguns erros muito básicos. Por exemplo. Num artigo eu disse que Natural Killer Cells (NK) seriam parte do sistema adaptativo. Um erro grosseiro.

Entretanto, ainda bem que sempre soube que meu conhecimento era limitado. Isso me fez aprender bastante. Hoje, apesar de continuar sendo leigo e amador (e não poderia ser de outra maneira) sei muito mais como o nosso sistema imune funciona, e é um assunto muito bacana de se estudar.

Portanto, cometi erros, ainda continuo sabendo pouco, mas fui capaz de aprender muitas coisas sobre várias áreas, o que não deixa de ser interessante.

A Polarização sem qualquer sentido

Amigo, se você acha que um remédio (cloroquina) deve ser debatido em redes sociais, ou defendido politicamente, você está precisando de uma terapia de choque de ciência.

Eu acho que é uma grande infelicidade que pessoas, sem querer se esforçar para entender minimamente os pontos de discussão, estejam tão propensas  a querer debater, ou até mesmo ofender outros.

Eu acho que é uma consequência, uma das, de algoritmos de IA, e de como as redes sociais são estruturadas.  Algo que debati num podcast sobre IA com o grande Pena:

Ou discutido de forma brilhante no sensacional documentário:

Eu não sei como sairemos dessa. Infelizmente, uma crise de saúde pública ao invés de unir o pais, ou o mundo, em torno de objetivos em comum, parece que fez o contrário.

Poderia ser uma chance para darmos mais valor a ciência e aos cientistas, para pensarmos em nossas saúdes, e como melhorar a nossa própria vida. Talvez algumas pessoas reflitam sobre isso, mas muito provavelmente será uma minoria.

A Imunidade Cruzada, Imunidade Celular, Imunidade de Rebanho a 20-30%

Se me perguntassem o que acho da situação do COVID-19 no Brasil, o que raramente alguém me questiona, eu simplesmente diria que nosso país, e países como os EUA, tiveram e estão tendo muita sorte.

Se esse vírus fosse um pouco mais letal, e se não houvesse alguma espécie de imunidade cruzada, eu acredito que o Brasil teria colapsado.

Eu escrevi um pouco sobre o tema (de imunidade) nesse artigo

COVID-19, Atualidades Sobre a Doença. Para onde vamos?

E por qual motivo a sorte? Apesar de ser um vírus com uma estrutura diferente, tanto que é chamado novo coronavírus, há uma família de coronavírus, e quatro deles são responsáveis por 30-40% dos resfriados.

Alguns estudos demonstraram, apesar de ser amostras pequenas, que pessoas não expostas ao SARS-CoV-2 tinha resposta imune celular (via células T).

Isso foi surpreende (ao menos para mim, leigo). Isso quer dizer que eu Thiago posso ter uma certa proteção prévia ao SARS-CoV-2 por já ter sido exposto a outros coronavírus que causam resfriado. Ou talvez essa resposta imune seja pela exposição a um outro vírus. Até onde eu sei não se sabe.

Além do mais, quando comecei a escrever a série sobre COVID-19, quase todos os especialistas falavam apenas sobre resposta de anticorpos que são produzidos pelas células B.

Muitos estudos de anticorpos começaram a sair mostrando que regiões duramente afetadas, como NYC, tinham apenas de 15 a 20% de pessoas com anticorpos.

Isso foi uma péssima notícia. Mas, não houve mais surtos de infecção em NYC. Muitos, e eu também em minha “leiguice”, que talvez esse vírus encontre uma barreira grande para provocar grandes surtos, depois que um percentual de 15-20% de uma população é infectada.

Será imunidade cruzada? Será pessoas que não desenvolvem anticorpos detectáveis aos exames? Será que o limite para uma “imunidade de rebanho” é bem inferior aos 60-70% estimados inicialmente?

Talvez seja uma combinação disso tudo. E onde entra a sorte do Brasil?

Bolsonaro, Mandetta, o outro ministro da saúde que logo foi demitido, todos repetiam que havia a possibilidade de 70% da população ser exposta. Porque essa era a ideia inicial.

Mas se isso fosse verdade, mesmo que o índice de fatalidade da doença(IFR) fosse de 0.4-0.5% (que é mais ou menos o que se acredita hoje em dia), estaria a se falar de 700-800 mil mortos no país. Fora a necessidade de hospitalização de milhões de pessoas.

O sistema colapsaria e as consequências seriam imprevisíveis. Se 70% das pessoas fossem suscetíveis, e o IFR fosse de 2-3%, o que não seria nada absurdo para uma epidemia de um vírus respiratório fora de controle, estaríamos falando de milhões de mortes e dezenas de milhões de hospitalizações.

Seria o caos total.

Então, sim, mesmo o Brasil e os EUA sendo incompetentes, apesar do grande sofrimento em perda de vidas, polarização estúpida da sociedade, mesmo assim tivemos sorte porque o mal poderia ser muito pior.

Eu não estava preparado, e ainda não estou e Você?

Bastava a IFR ser um pouco maior, e a incidência potencial maior, para o caos ter se instalado aqui no país. Estou falando de desabastecimento de comida, convulsão social, aumento exponencial de crimes, etc, etc.

Eu não estava preparado e ainda não estou.

Cada vez mais penso em comprar um pedaço de terra, com acesso a fonte de água potável limpa, onde eu possa plantar e criar alguns animais, e que eu possa usar energia solar.

E ,sim, penso até mesmo na posse de uma arma. Não chega a ser uma mudança de opinião, pois eu sempre achei razoável a posse de arma em propriedades rurais.

Além de acreditar que uma vida mais integrada com a natureza tem um grande valor, para mim ficou evidente que eu sou extremamente vulnerável a crises.

Isso vai muito além de ter um portfólio, dinheiro para independência financeira ou dinheiro no exterior.

Se antes eu não cogitava a ideia, agora passo a vislumbrar com um pouco mais de força.

Mercados Financeiros

Eu sei pouco sobre finanças, essa é a verdade. Durante alguns anos (2013-2015), eu estudei para aprender mais sobre o tema, e para responder a minha pergunta “preciso continuar sendo Procurador Federal?” com um pouco mais de segurança.

Não sei para os os mercados financeiros vão ou deixarão de ir.

O que posso dizer, se é que alguém possa ter interesse, é que o Brasil está muito pior do que estava no começo do ano. Na verdade, em minha opinião, o Brasil está muito pior até mesmo do que no governo da Dilma, mas isso é apenas a minha opinião.

A dívida/PIB no final de 2020 vai estar muito maior.  Nossa economia provavelmente no final de 2021 vai estar num nível menor do que no final de 2019.  O Brasil está se isolando internacionalmente. O “fiador” da política econômica do governo, o Sr. Paulo Guedes, se transformou de um super ministro, num anão sem qualquer relevância.

Então, por qual motivo a bolsa está no mesmo patamar? Ou os juros a 2% ao ano?

Eu não sei. Talvez porque o FED, e outros governos, injetaram novamente trilhões para dar liquidez, comprando um monte de títulos?

Não sei. E se você quiser se aprofundar, visite o site do Instituto Mises, que apesar de sua parcialidade em vários tópicos, nestes relacionados a política monetária, eles são bem bons e técnicos.

Será que está tendo uma grande transferência de riqueza via governos e mercado acionário? Talvez.

Será que isso não vai criar um turbilhão social, como está acontecendo nos EUA que estão prestes de explodir? Quem sabe.

Eu, mesmo sendo leigo e amador, tenho algumas pulgas atrás da orelha sobre essa recuperação tão rápida e vistosa dos mercados acionários.

E, não, eu acho improvável que 2% ao ano de taxa básica de juros num país tão bagunçado como o nosso, seja uma realidade de médio-longo prazo. Mas, eu sou bem ruim de previsões, e posso estar completamente errado.

Mas, tá o que eu estou fazendo em relação às minhas finanças?

Minhas Finanças

Acreditem ou não, mas essa crise não só não me atrapalhou, mas como eu ganhei dinheiro.

Houve uma procura imensa por imóveis. Vendi vários imóveis, e algum deles pelo preço pedido, sem um real de desconto.

Quem conhece o blog anterior, sabe que eu tinha um caso enrolado e bem complexo relacionado a um imóvel em leilão, numa cidade a 3000km de distância.

Tive que fazer sustentação oral num tribunal desconhecido, e o meu bom amigo Viver de Renda até mesmo me hospedou em sua casa.

Pois não é que eu resolvi a pendência, e já vendi o imóvel, fazendo com que fosse uma operação com 60-70% de retorno líquido em algo como 24 meses.

Outro imóvel a venda desde 2017, que estava encalhado, está para sair por um preço razoável. Minha pior operação, mas creio que o meu retorno nominal será ainda positivo, o que tinha perdido as esperanças.

Eu iniciei um projeto de construção de casas de alto padrão. Fiquei muito inseguro por causa da pandemia de continuar a obra. Fui convencido pelos parceiros construtores que as pessoas teriam a tendência de querer mudar para uma boa moradia.

Dito e feito. Já vendi uma, não preciso colocar mais dinheiro na obra, e há duas boas propostas pendentes para vender as outras duas, e a obra só termina em janeiro de 2021.

Já estou em conversas, com os mesmos parceiros, para lançar outros projetos semelhantes, mas agora com seis casas.

Portanto, nada a reclamar, pelo contrário.

Em relação ao mercado financeiro, em março quando começou a dar vários circuit breakers, eu voltei a estudar ativos (especialmente bancos).

Entretanto, não comprei nada. Na real, o que mais tem são oportunidades pelo mundo.

Minha Saúde

Continuei comendo bem. Continuei fazendo exercícios. Todo dia me exponho ao sol, ou ao mar gelado. Voltei a surfar com muito mais frequência. Aproveito bastante o convívio com a minha filha.

A pandemia apenas me fez ver ainda mais fortemente como temos que estar bem física e mentalmente para encarar os mais diversos desafios.

Se você, acima do peso e sedentário, não começou a se mexer, está esperando o que? Se numa pandemia onde obesidade, diabetes, hipertensão, são associadas a desfechos piores, o que mais falta para você abrir os olhos e ver que você precisa dar a devida atenção à sua saúde?

Conclusão

Esse texto foi um emaranhado de opiniões exclusivamente pessoais sobre um monte de tema.

Em suma, o Brasil teve sorte, o SARS-CoV-2 ainda possui muitos mistérios, o pior, ainda bem não se manifestou e dificilmente se manifestará, alguns países lideram pessimamente com a crise.

Minha saúde e finanças nunca estiveram tão fortes, é isso, um grande abraço!