Cisne Negro: Como Raciocinamos Incorretamente

Cisne Negro
 

Cisne Negro, e isso lá existe? Vá até o final do artigo para uma prova cabal de sua existência. E por qual motivo um conceito como cisne negro é importante para a nossa vida no dia a dia?

O tema não é novo, e já escrevi há alguns anos um artigo com tema correlato chamado viés de confirmação – nossa preguiça mental.

Esse viés mental  é tão alastrado que é  impressionante observar como  está em todo o lugar.  Está em mim, está em você, no seu comentador político favorito, basta ser humano.

As redes sociais aprofundaram o problema, e estão fazendo que uma parcela significativa das pessoas simplesmente raciocine cada vez da pior maneira possível. Sim, o viés de confirmação, o nosso grande adversário mental em nossa vida.

 

Todos Os Cisnes São Brancos?

 

Comecemos pela frase: “Todos os Cisnes são Brancos”. É como o Nicholas Taleb inicia o seu famoso livro “A Lógica do Cisne Negro”.

O que ocorre com a afirmação “Todos os Cisnes são Brancos”? Aqui, acontece algo muito interessante sobre o que entendemos como verdade.

Eu não posso afirmar com certeza absoluta que a afirmação “Todos os Cisnes são Brancos” é verdadeira. Eu posso ter observado 10 mil cisnes brancos, 100 mil cisnes brancos, 1 milhão de cisnes brancos, e mesmo assim não posso dizer que a afirmação é necessariamente verdadeira.

E por que não? Pois basta a observância de um único cisne negro para que a minha teoria com centenas de milhares de observações seja falsa.

Este é um dos maiores insights que você pode ter em relação a forma de raciocinar, então prezado leitor preste atenção, pois irei repetir: UMA ÚNICA OBSERVAÇÃO PODE PROVAR QUE UMA TEORIA OU HIPÓTESE É FALSA, MILHARES DE OBSERVAÇÕES NÃO PODEM AFIRMAR QUE ELA É VERDADEIRA.

Cisne Negro e a Ciência

 

E por que isso é importante? É importante, pois é assim que o ser humano faz ciência.

Há até mesmo um grande filósofo chamado Karl Popper que elaborou os termos de uma “filosofia da ciência”, assentando o que pode ser considerado Ciência ou Não. Basicamente, para ele, uma proposição só pode ser considerada científica se ela pode ser “falseável”, ou seja demonstrada falsa.

Como não podemos afirmar que alguma coisa é verdadeira mesmo com muitas observações, mas podemos dizer que algo é falso com uma única observação, fica evidente que a maneira mais inteligente de encarar a vida é buscar por informações que de alguma maneira mostrem que nossas convicções ou ideias são falsas.

Ou seja, procurar um cisne negro, mesmo quando todos os cisnes ao nosso redor sejam aparentemente brancos.

Quer dizer que nunca teremos a Verdade?“Quer dizer que a ciência não se preocupa com a verdade, mas sim provar o que é falso?” . Não é possível afirmar que existe uma verdade absoluta (tirando crenças pessoais) em nossa análise da realidade?

 

Teorias Postas à Prova

 

Não, e essa é a diferença entre a Matemática e tudo o mais. A Matemática é o único campo do conhecimento que podemos falar sobre Verdades com V maiúsculo, e geralmente elas são chamadas de Teoremas.

Quanto mais uma teoria é colocada à prova, seja por observações seja por tentativas de “falsificá-la”, isso quer dizer que a Teoria se sustenta com mais força e pode ser uma descrição mais próxima do que a realidade possa ser.

Mais próxima, sim? Como discuti com um professor universitário em meu primeiro podcast, modelos são apenas aproximações da realidade. Se quiser ouvir, aqui está o episódio:

Isso também se aplica a teorias. Não se pode dizer com certeza absoluta que uma determinada teoria é a descrição precisa da realidade, sendo a mesma 100% verdadeira em todos os seus aspectos.

Se nós pararmos para refletir um pouco sobre os parágrafos anteriores, já podemos perceber o quão sem sentido é a busca frenética das pessoas por lerem ou ouvirem algo que simplesmente reforça suas ideias prévias.

É o equivalente de procurar mais cisnes brancos para provar que a afirmação “Todos os Cisnes Brancos” é verdadeira.

 

O Viés de Confirmação

 

O Viés de Confirmação é a nossa tendência de procurar por “fatos”, informações, perspectivas que corroborem a nossa forma de apreender a vida e a realidade.

Esse é o principal erro de julgamento, é o seu principal inimigo para tomar boas decisões na vida e para entender a realidade com mais profundidade.

Todos nós somos afetados por esta forma de ver o mundo. A grande diferença é se nós estamos conscientes disso, e se nos esforçamos para evitar que sejamos influenciados em demasia principalmente nas grandes decisões em nossa vida.

Está tudo muito teórico e abstrato? Bom, para mim a capacidade pensamento abstrato é A capacidade para se entender o mundo. E num mundo cada vez mais complexo, ela será A capacidade que distinguirá países que irão prosperar ou não.

Porém, vou colocar um exemplo concreto meu envolvendo investimentos.

 

Um Exemplo Pessoal Sobre Leilão de Imóveis – Quando Um Cisne Negro é ignorado

 

Em 2015, inclusive escrevi sobre isso à época, eu conjecturei que a crise econômica iria fazer com que houvesse muitos imóveis indo a Leilão.

Como não poderia ter certeza, mas eu imaginava que poderia estar, resolvi me manter líquido e não carregar posições onde eu não pudesse ter acesso ao meu dinheiro.

Além do mais, como fiquei quase dois anos viajando, eu não queria me importar com análises mais sofisticadas de instrumentos financeiros.

No final da viagem, eu comecei a me questionar se tinha sido uma decisão sábia. Poderia ter escolhido instrumentos mais ilíquidos, além do mais que nos dois anos de viagem comprei apenas um imóvel.

Refleti que isso tinha me custado tranquilamente seis dígitos de custo de oportunidade, se eu considerar a diferença entre o 93% líquido de CDI que ganhei à época aplicando no BB e eventuais outras aplicações de características semelhantes.

Acontece, que eu estava certo. Entre o final de 2016 e metade de 2018 ocorreram leilões de bons imóveis numa frequência absolutamente sem precedentes, ao menos para mim.

Leilões bons que ocorriam, quando ocorriam, uma vez por ano, estava ocorrendo todos os meses.

Resultado, nesse período comprei dezenas e dezenas de imóveis, consolidei o meu patrimônio de uma maneira que me fornecesse ainda mais segurança para largar o cargo de Procurador Federal e iniciar uma nova etapa em minha vida.

Aprendi muito mais do que eu já sabia sobre leilões, pois mergulhei a fundo mesmo no tema.

Certo, alguém pode estar pensando, mas qual é a relação com o texto?

Quando estava pesquisando um imóvel potencial à época, eu já estava praticamente certo que valeria a tentativa de arremate até um determinado preço.

Foi quando, ao pesquisar pela internet, vi um imóvel com características que poderiam ser semelhantes por um preço muito menor do que eu achava que poderia valer o imóvel objeto de pesquisas.

Eu já tinha visto alguns imóveis semelhantes que estavam corroborando a minha ideia de preço, e quando vi este de preço inferior, eu de maneira consciente-inconsciente resolvi ignorar esta informação. Sim, pura e simplesmente ignorar a informação dissonante.

Eu ignorei a informação. Não sou especialista em finanças. Entendo os rudimentos de economia. Tenho apenas conhecimento razoável de direito. Porém, de leilão de imóveis extrajudiciais eu entendo muito mesmo, ou seja, não era nenhum amador à época.

Alguns minutos depois, alguma coisa aconteceu, e eu apenas refleti comigo mesmo “Viés de Confirmação mesmo? É isso que você chama de uma boa análise?”.

Eu estava procurando por cisnes brancos, quando na verdade deveria estar olhando por cisnes negros, por informações que desafiassem a minha ideia já quase que solidificada de que poderia ser um bom negócio.

Eu, sinceramente, não lembro se a informação desse imóvel foi relevante ou não, pois nesse período de 18 meses analisei centenas e centenas de imóveis para potencial arremate, mas posso tranquilamente dizer que ligou o sinal amarelo de como nós podemos ser traídos muito facilmente, e como o Viés de Confirmação é algo que pode se apossar da gente com uma facilidade tremenda.

 

O Seu Adversário Interior

 

Sendo assim, meus prezados leitores e amigos, você possui um adversário em sua mente para a sua própria evolução. Este opositor parece ser uma força amiga, mas não é, ela é uma das formas mais deletérias que você terá que se esforçar para superar em certa medida.

O Viés de Confirmação vai fazer você andar com pessoas que parecem com você, ler textos de pessoas que pensam como você, e perceber o mundo da forma que você já percebe o mundo.

Você vai se sentir bem, se sentir tranquilo e sua vida será mais fácil. Um mundo de certezas e pouca dúvida o aguarda.

Para mim essa é uma vida pobre, seja do ponto de vista humano, seja do ponto de vista intelectual. Em minha opinião, isso é transformar a sua vida numa Coréia do Norte auto-imposta.

Já pensou nisso? O que não é um regime totalitário senão a apresentação da realidade com apenas uma forma possível, proibindo outras formas concorrentes de explicação do mundo. Ou seja um amontado de cisnes brancos sem a possibilidade de qualquer cisne negro.

Compare isso com pessoas lendo apenas textos ou ouvindo pessoas que dizem exatamente o que elas já pensam como ser o correto, simplesmente ignorando outras formas de ver o mundo, ignorando um cisne negro existe.

É um regime de auto-censura, é a criação da sua própria Coreia do Norte intelectual. É isto que você quer para a sua vida, leitor? Eu creio que não.

Uma vez vi num blog um comentário de um leitor dizendo assim: “O texto é brilhante, meus parabéns. Você pensa exatamente como eu penso”. (…). (…).

Preciso comentar alguma coisa? A pessoa não está elogiando o autor do texto, mas a si própria. No fundo, o viés de afirmação em alguns temas nada mais é do que isso, uma forma de simplesmente ver qualidades em nós mesmos, mesmo que elas não sejam reais ou tão fortes.

 

Cisne Negro, Peru e O Problema da Indução

 

Por fim, termino este artigo com o famoso  problema da indução, ou carinhosamente chamado Turkey’s Problem pelo Taleb. Não é o Viés de Confirmação, mas de alguma maneira está conectado com ele.

É a História de um Peru de Thanksgiving (o feriado americano). Ele é um Peru e todo o dia é alimentado por um homem.

Nos primeiros 50 dias, ele desconfia. Porém, depois de 200 dias sendo alimentado pelo Homem, ele simplesmente aceita o fato de que a vida é assim mesmo “Perus são alimentados pelos homens”.

Passam 800 dias, e o Peru não poderia estar mais certo de que a vida é boa, todas as evidências apontam para isso, “vejam há 800 dias eu sou alimentado, eu tenho 800 peças de evidência que o Homem que me alimenta gosta bastante de mim e a vida é boa” pensava o Peru.

A cada dia que passa o bem-estar do Peru aumenta, e ele está cada vez mais confiante. TODOS OS CISNES SÃO BRANCOS, NÃO HÁ CISNE NEGRO.

Porém no 1.001 dia, isso acontece:

O Cisne Negro do Peru
Quando o cisne negro ocorre e milhares de dados se tornam irrelevantes

 

O Peru é degolado para ser servido como ceia no famoso feriado estadunidense. Todas as 1000 peças de “evidência” não serviram para absolutamente nada. Bastou apenas uma única observação para tudo ruir.

Não seja o Peru, sem qualquer trocadilho, prezado leitor. Não se entregue tão facilmente para o viés de confirmação.

Busque informações que mostrem que você pode estar errado, principalmente quando tiver que tomar grandes decisões. Procure por cisnes negros, não por mais cisnes brancos.

Não quer dizer que deve ficar paralisado ou impotente, claro que não. Isso apenas fará com que você fique mais forte e tome decisões muito mais acertadas, principalmente quando os resultados possam ser incertos.

 

Cisne Negro
Cisnes Negros existem

 

Encarando um Cisne Negro
E Eu Destemidamente não tive “medo” de encará-los de frente! (Rotorua – Nova Zelândia)

 

Um abraço a todos!

obs: A um leitor que conhece mais a obra do Taleb poderá se perguntar sobre a forma como a ideia do cisne negro foi apresentada. Para esse escritor um cisne negro é um evento de baixa probabilidade e de certa forma imprevisível. É o “desconhecido desconhecido”. Entretanto, a utilização da expressão cisne negro como um evento em dissonância com o acúmulo de dados anteriores (muitos cines brancos) é utilizado pelo mesmo autor no começo do seu livro “A Lógica do Cisne Negro”.

obs1: cisnes negros são extremamente comuns na Nova Zelândia